quarta-feira, 6 de junho de 2018

DICA DUPLA: ESMALTE E LIVRO!!!

Oi Fofoletesss!!!
Estou lendo menos do que eu gostaria por causa da correria dos dias, mas este livro "O Conto da Aia" eu praticamente devorei... eu  não conhecia nada da escritora canadense Margaret Atwood e agora sou fã do seu estilo sincero, reflexivo e intenso de escrever... este livro se transformou em série, a tão falada e premiada "The Handmaid's Tale", que eu ainda não assisti mas já está agendada, rsrsrs
Sobre o livro:
A história de "O conto da Aia" passa-se num futuro muito próximo e tem como cenário uma república onde não existem mais jornais, revistas, livros nem filmes - tudo fora queimado. As universidades foram extintas. Também já não há advogados, porque ninguém tem direito a defesa. Os cidadãos considerados criminosos são fuzilados e pendurados mortos no muro, em praça pública, para servir de exemplo enquanto seus corpos apodrecem à vista de todos. Nesse Estado teocrático e totalitário, as mulheres são as vítimas preferenciais, anuladas por uma opressão sem precedentes. O nome dessa república é Gilead, mas já foi Estados Unidos da América. As mulheres de Gilead não têm direitos. Elas são divididas em categorias, cada qual com uma função muito específica no Estado - há as esposas, as marthas, as salvadoras etc. À pobre Offred coube a categoria de aia, o que significa pertencer ao governo e existir unicamente para procriar. Offred tem 33 anos. Antes, quando seu país ainda se chamava Estados Unidos, ela era casada e tinha uma filha. Mas o novo regime declarou adúlteros todos os segundos casamentos, assim como as uniões realizadas fora da religião oficial do Estado. Era o caso de Offred. Por isso, sua filha lhe foi tomada e doada para adoção, e ela foi tornada aia, sem nunca mais ter notícias de sua família. É uma realidade terrível, mas o ser humano é capaz de se adaptar a tudo. Com esta história, Margaret Atwood leva o leitor a refletir sobre liberdade, direitos civis, poder, a fragilidade do mundo tal qual o conhecemos, o futuro e, principalmente, o presente.

O livro é muito bom e nos faz refletir a todo momento sobre os pequenos detalhes da nossa vida.
Eu super recomendo!!!

E para acompanhar esta leitura tão profunda um esmalte lindo: Gabriela, da Risqué... para quem gosta do vermelho intenso e clássico, assim como eu. é uma cor linda para o outono/inverno!!!
Beijinhosss!!!

3 comentários:

  1. Comecei a vê a série.
    Mas são tantas séries.

    ResponderExcluir
  2. Jane, vou procurar o livro, porque adoro romance histórico. Neste momento as minhas unhas estão azuis, mas já usei essa linda cor.
    Beijo

    ResponderExcluir
  3. OI Jane,
    Gostei da resenha, mas tb ando lerdinha pra ler por conta do excesso de coisas para fazer.
    Gosto deste esmalte, mas faz tempo que não uso.
    Beijos

    ResponderExcluir